ORGULHO – Diretora da Mulher da CONTRATUH é eleita presidente do Conselho Estadual de Condição Feminina de SP

Pela primeira vez na história, sindicalista é eleita para conselho estadual em SP

Na tarde desta segunda-feira (02), o secretário de Justiça do Estado de São Paulo, Marcio Elias Rosa, empossou 32 novas conselheiras no Conselho Estadual da Condição Feminina, órgão que discute políticas públicas voltadas para as mulheres. No evento, realizado na sede da secretaria, houve ainda votação para a presidência do Conselho e, pela primeira vez, foi eleita para o cargo uma representante dos trabalhadores. Maria dos Anjos Hellmeister  foi leita presidente do Conselho Estadual da Condição Feminina por unanimidade pelas conselheiras. Ela preside o Sindicato das Trabalhadores em Salões de Beleza em São Paulo e Região (SindeBeleza) e faz parte do corpo diretivo da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Turismo e Hospitalidade (CONTRATUH).

“Tenho um orgulho imenso por ter sido eleita por unanimidade, com o aval de todas as companheiras presentes, pois sei da importância desse Conselho, que criou a primeira Delegacia da Mulher no mundo, reconhecida até mesmo pela Organização das Nações Unidas”, comemorou ela.

Para a sindicalista, a representatividade da trabalhadora é importante nas discussões de políticas públicas voltadas para as mulheres. “Continuaremos com abertura para implantar novas formas de trazermos melhorias dentro do mercado de trabalho e no convívio dentro da sociedade que deem para as mulheres mais igualdade de direitos”, declarou.

Rosemary Correa, primeira delegada da mulher e que presidiu o Conselho durante oito anos, coloca a eleição como um avanço. “A Maria trouxe para nós, em especial pra mim, uma leitura diferenciada do sindicalismo. Tínhamos ideia de um sindicalismo diferente, pesado e grosseiro, que as mulheres tinham dificuldade de entrar”, afirma. Correa também elogia o trabalho feito dentro dos sindicatos, para o empoderamento feminino num ambiente com pouca representação. “Ela trouxe a ascenção da mulher na participação em entidades sindicais”, concluiu.

“Sempre fizemos questão de ter políticas voltadas para mulheres em nossa confederação. Inclusive com eventos sobre conscientização e campanhas contra a violência doméstica. É uma responsabilidade de toda a sociedade lutar pela igualdade de gênero, e a eleição a companheira Maria dos Anjos é um grande passo nesse sentido”, finalizou Moacyr Tesch Auersvald, presidente da CONTRATUH.

Criação do Conselho

Criado em 1983, o Conselho foi tem o objetivo de fazer a ligação entre o poder público e a sociedade civil na elaboração de políticas públicas para mulheres e fiscalizando as políticas já existentes, sendo composto por 32 mulheres — 21 delas representantes da sociedade civil, 10 das Secretarias Estaduais e uma do Fundo de Solidariedade.

O órgão também propõe a elaboração de uma política global de enfrentamento das causas da exclusão das mulheres, do direito de exercer a cidadania, a de formular diretrizes e estimular atividades que combatam a discriminação contra a mulher e promovam sua plena integração na vida socioeconômica e político-cultural.