CONTRATUH PARTICIPA DE REUNIÃO DO MINISTÉRIO DO TURISMO

Compartilhe:

O presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Turismo e Hospitalidade (CONTRATUH) e o coordenador de eventos da entidade, Daniel Alexandre, participaram na tarde desta terça feira (14), da 56ª Reunião do Conselho Nacional do Turismo, que foi realizada de forma online.

O ministro do Turismo, Gilmar Machado Neto, abriu a reunião, falando sobre a realidade nacional que tem sido enfrentada em relação a pandemia no país, e explanou o trabalho que o governo tem feito em relação ao crescimento da aviação nacional. Falou também sobre a necessidade e a importância de se fortalecer a Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo (EMBRATUR) para contribuir na retomada do setor.

Pelo Ministério, foi apresentada a portaria 754 do Mtur, de 10 de novembro de 2020, que trata da Aliança Nacional para a Retomada do Turismo, com a finalidade de preservar empresas e empregos, com liberação de crédito emergencial de 5 bilhões de reais junto ao Fundo Geral do Turismo (FUNGETUR). Foi destacado o programa de retomada do setor de eventos, a melhoria da estrutura e qualificação de destinos, implantação de protocolos de biossegurança, promoção, incentivos de viagens, e revisão da Lei Geral do Turismo.

Wilson Pereira, parabenizou o trabalho apresentado pelo Mtur, e destacou que a CONTRATUH é a entidade que representa os trabalhadores em turismo e hospitalidade no país, e disse que “em que pese a Confederação fazer parte do CNT, a entidade não foi chamada para discutir as questões relacionadas ao setor turístico, principalmente em relação ao Programa Aliança Nacional para a Retomada do Turismo. “Sequer tivemos conhecimento sobre a portaria que criou o programa, visto que foi mencionado que todos os setores foram consultados. A CONTRATUH deve ser ouvida, porque o empresariado precisa dos trabalhadores para gerir os seus negócios, bem como os trabalhadores precisam dos empregos”, disse Pereira. “Embora já tenha feito em outras oportunidades, falou sobre o elevado custo do turismo interno, notadamente das passagens aéreas, que contribui para a redução das viagens dentro do país, enfraquecendo nosso turismo”, finalizou o dirigente sindical.