DEPUTADOS DEBATEM, NA CÂMARA, O ASSÉDIO MORAL

Compartilhe:

A Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público da Câmara dos Deputados discutiu hoje, quarta-feira (21) o assédio moral no trabalho. O debate foi por requerimento da deputada Erika Kokay (PT-DF).

Para a deputada, o assédio moral se manifesta por meio da prática de violência psicológica, em que a pessoa é submetida a todas formas de constrangimento, humilhação e exposição pública vexatória, atingindo de forma intensa a sua autoestima, causando-lhe intenso sofrimento psicológico e afrontando a sua dignidade.

Erika Kokay destacou, por exemplo, as denúncias recentes de assédio moral na Caixa Econômica Federal e no Ministério da Educação. “Mas esses casos não são isolados”, frisou.

“Nos últimos anos, têm se tornado cada vez mais frequentes as denúncias de assédio moral no mundo do trabalho, seja no setor público, seja no setor privado”, afirma. “Essa prática vem sendo usada como método de gestão e, muitas vezes, tem o objetivo de obrigar o(a) trabalhador(a) a cumprir metas impossíveis”, destaca a deputada.

O tema já foi destacado pela Diretora da Mulher, da Contratuh, Maria dos Anjos Hellmeister (Mariazinha), que está sempre atenta a estes casos. A mulher, prinicpalmente, é alvo frequente do assédio moral e também do sexual, constrangendo e muitas vezes influenciando até na demissão da funcionária.

Para Mariazinha, “é fundamental que os parlamentares busquem recursos e leis que inibam esse tipo de ação, proporcionando cada vez mais garantias e liberdade para quem quer trabalhar e merece o máximo de respeito em seu ambiente laboral.” (Fonte: Agência Câmara)