NOVEMBRO AZUL: O PRECONCEITO MATA.

Compartilhe:

A campanha do Novembro Azul chegou a mais uma edição com o objetivo de alertar a sociedade para a importância do diagnóstico precoce do câncer de próstata, o mais frequente entre os homens brasileiros depois do câncer de pele. Sempre engajada nas discussões sociais, a CONTRATUH busca a conscientização de seus filiados trazendo, todos os anos, informações que podem quebrar alguns mitos que rondam esse assunto.

A equipe de comunicação da entidade ouviu alguns especialistas que alertam que ainda há muita resistência dos homens para qualquer tipo de exame preventivo, agravado na questão dos cuidados com o câncer de próstata. De acordo com o Oncologista Clínico Daniel Vargas Pivato, do Grupo Oncoclínicas de Brasília- DF, o preconceito ainda é o grande vilão dos homens no combate ao câncer de próstata. “Quando o tratamento acontece em suas fases iniciais, as chances de cura acabam sendo bem maiores. Infelizmente hoje os homens ainda têm um preconceito em relação a realização do exame de toque, o que ocasiona novos casos da doença, pois quanto mais tarde for descoberto, menor as chances de recuperar”, afirmou.

Dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA), mostram que o câncer de próstata é a principal causa da morte de quase 29% da população masculina. Ainda segundo o Instituto, um homem morre no Brasil a cada 38 minutos devido ao câncer de próstata, que é uma glândula do sistema reprodutor masculino, fica abaixo da bexiga, e tem a função de juntamente com as vesículas seminais produzir o esperma.

Em suas primeiras fases, o câncer na próstata é assintomático, ou seja, não aparenta nenhum sintoma, que só começam a aparecer quando a doença já está numa fase mais avançada, o que dificulta a cura. Nessa fase os principais sintomas são as dores ósseas, dores na hora de urinar, vontade de urinar com certa frequência e também a presença do sangue quando se urina ou quando se ejacula. Em 2020 foram descobertos 65 mil novos casos, número que corresponde a 29% dos casos de câncer no país. A mortalidade chegou a mais de 15 mil casos, pouco mais de 13%, dentre todas as mortes devido ao câncer no país.

 

Tratamento

A Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) afirma que o único jeito de se curar do câncer de próstata é diagnosticar de forma frequente, e recomenda que homens com idade entre os 45 anos com fatores de risco e com 50 anos sem risco devem procurar o seu urologista de confiança para poder fazer o exame de toque retal, o único onde o médico pode avaliar se existe alguma alteração na glândula, seja o endurecimento ou algum nódulo suspeito, e também fazer o exame de Antígeno Prostático Específico, o PSA, que em 20% dos casos consegue diagnosticar a doença. Segundo pesquisa feita pela Sociedade Brasileira de Urologia, entre 2019 e 2020, anos em que a pandemia da Covid-19 atingiu o país, houve uma queda de mais de 20% nas biopsias e nos exames de PSA, o que aumentou consideravelmente as chances de mais pessoas estarem com a doença

 

Fatores de Risco

Alguns fatores podem aumentar o risco de se adquirir a doença, como dietas que são ricas em gordura saturada, o tabagismo e também o sedentarismo. Nos últimos anos também tem se percebido um aumento da incidência do câncer em homens que trabalhem diretamente com produtos químicos tóxicos, que é o caso da fuligem, dioxina e também dos produtos de petróleo. Quem também teve casos de parentes em 1º grau está em um fator de risco.

Para o presidente da CONTRATUH, Wilson Pereira, este é um momento oportuno de lembrar a todos sobre a importância de os homens olharem com atenção para a saúde. “Não devemos nos ater apenas às questões trabalhistas, precisamos cuidar das pessoas como um todo. Ações como o Outubro Rosa e o Novembro Azul reforçam a importância do diagnóstico precoce do câncer como uma saída para a cura. Lutamos para que o bem estar da classe trabalhadora ultrapasse as questões laborais. Por isso, sempre estivemos e estaremos presentes nesses debates”, finaliza.

 

*com informações de INCA, Ministério da Saúde e Instituto Lado a Lado Pela Vida.