Projeto de orientação e atendimento psicológico para agressores de mulheres pode virar lei federal

Compartilhe:

Nesta quarta-feira (7), dia em que se comemoram os 13 anos da Lei Maria da Penha, a Deputada Federal Rosana Valle (PSB/SP), apresentou à Câmara dos Deputados uma proposta de alteração nessa lei. O objetivo é que o programa paulista “Homem Sim, Consciente Também” seja incluído na Maria da Penha, se torne Lei Federal e esteja presente em todas as delegacias de Polícia Civil do Brasil.

“Esse projeto fornece orientação e atendimento psicológico para homens que agrediram suas companheiras. Atualmente, são poucos os serviços especializados para orientação e acolhimento de homens sem imposição”, explica Rosana Valle. O Programa iniciou na cidade de Diadema, com a delegada titular da Delegacia da Mulher (DDM), Renata Cruppi, e hoje está presente em 24 cidades do Estado de São Paulo.

Cruppi, conta que o projeto nasceu após notar que a maior parte dos agressores são inseguros. “Eles sentem uma necessidade constante de demonstrar a masculinidade, cultivam amizades vazias e possuem pouca autenticidade emocional”, explica.

São realizados seis encontros de 1h30 com profissionais de diversas áreas. A participação é feita por meio de convite. “Isso já permite a primeira quebra de resistência e o aceite da oportunidade. Entre 2017 e 2018, 228 homens foram atendidos. Apenas cinco voltaram a cometer agressão”, relata.

O projeto já está presente na Baixada Santista, na cidade de Cubatão, que foi a o primeiro município da região a receber o projeto. “Uma das coisas mais importantes é que esse homem não se sinta julgado, para não entrar em uma posição defensiva. Ele precisa refletir, e dessa forma, reavaliar a sua conduta e atitudes”, avalia Mayla Hadid, Delegada titular da Delegacia da Mulher da cidade.

*por www.rosanavalle.com.br – imagem: divulgação