CONTRATUH participa de reunião por videoconferência com o MPT

Compartilhe:

Nesta terça-feira (26), a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Turismo e Hospitalidade (CONTRATUH), participou de uma reunião por meio de videoconferência com o Ministério Público do Trabalho (MPT), coordenada pela Procuradora do Trabalho Ana Lúcia Stumpf Gonzáles e com a participação da também Procuradora Dalliana Vilar Lopes. O objetivo do encontro foi discutir os impactos do COVID-19 nas relações do trabalho.

Pela CONTRATUH, participaram o Presidente Wilson Pereira e os assessores jurídicos da Confederação, Agilberto Seródio e Samuel Antunes. Também esteve presente Antônio Carlos da Silva, diretor da Contracs.

A Procuradora Ana Lúcia Stumpf Gonzáles destacou que o MPT instituiu o grupo de trabalho Covid-19 para mediar a relação dos empregadores e trabalhadores dos mais diversos setores econômicos durante a pandemia. “É um espaço de escuta das demandas e possíveis acordos em caso de problemas envolvendo a categoria”, afirmou. Ela destacou ainda a importância dos trabalhadores do setor do turismo na geração de emprego e renda.

O presidente da CONTRATUH, Wilson Pereira, relatou as ações que a Confederação está fazendo com entidades sindicais filiadas, destacando que estão focando principalmente na preservação do emprego e no trabalho com seguro face a pandemia. Wilson também destacou que as negociações que estão sendo realizadas com a classe empresarial para assegurar os direitos trabalhistas de todas as categorias representadas pelas entidade que preside.

O assessor jurídico da CONTRATUH, Agilberto Seródio, comentou sobre o andamento da Medida Provisória (MP) na Câmara dos Deputados, esclarecendo que o deputado Orlando Silva, que é relator da matéria, está agilizando os trabalhos para votar seu relatório o mais breve possível. Agilberto também comentou que o Parlamentar, ao que parece, está contemplando a prorrogação da medida, bem como pode contemplar também pontos importantes para os trabalhadores, especialmente no que se refere a atuação sindical nas negociações de acordos coletivos.

Ao finalizar a reunião, a coordenadora assegurou que em breve deve haver nova reunião, desta vez com a participação da classe empresarial.