MT E CENTRAIS SINDICAIS DISCUTEM ASSÉDIO ELEITORAL

Compartilhe:

O assédio eleitoral, com ameaças de redução salarial, retirada de direitos e benefícios e até demissão, foram alguns dos pontos discutidos entre o procurador-geral do Trabalho, José de Lima Ramos Pereira, e os presidentes de centrais sindicais, no último dia 15.

Há uma preocupação das lideranças sindicais sobre a situação e o procurador-geral do Trabalho alertou que fatos assim devem ser denunciados ao MPT, para que providências enérgicas sejam tomadas.

José de Lima disse que a Instituição está preparada, em nível nacional, para o atendimento a qualquer demanda relacionada a direitos dos trabalhadores e trabalhadoras, seja urgente ou não.

Houve também um pedido de maior aproximação com as Coordenadorias Nacionais do MPT, para conhecerem com mais profundidade suas competências e atribuições.

O PGT pretende promover um evento com as Coordenadorias e o movimento sindical, para troca de experiências e reforço do diálogo institucional. Outro assunto discutido foi a necessidade de proteção da integridade dos trabalhadores que vão atuar como mesários nas eleições.

A Contratuh tem usado seus meios de divulgação a fim de orientar os trabalhadores para que resguardem os seus direitos e participem das eleições de 2 de outubro, com extrema responsabilidade.

O presidente Wilson Pereira tem procurado deixar que as categorias decidam pela melhor escolha, mas sempre enfatizando que a representação profissional é de extrema valia nas lutas pelos direitos do trabalhador.