Violência contra a mulher no Centro-Oeste é tema de audiência pública

Compartilhe:

A Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher realiza audiência pública hoje para discutir a violência contra a mulher no Centro-Oeste e possíveis soluções. A deputada Flávia Morais (PDT-GO) é a autora do requerimento para realização do debate.

Flávia Morais lembra que os dados apresentados pelo Mapa da Violência contra a Mulher demonstram que as mulheres sofrem diversos tipos de violência de maneira sistemática. “De acordo com os levantamentos da pesquisa, em 2018, mais de 32 mil mulheres foram estupradas. Desse total, 43% das vítimas têm menos de 14 anos e 49,8% dos agentes são parentes. Em 2018, em Goiás, foram registrados 1673 estupros, no Mato Grosso, 3448; no Mato Grosso do Sul, 1155 e no Distrito Federal, 1617”, observou a deputada.

Feminicídios
Ainda segundo ela, os indicadores de feminicídio, ou seja, o homicídio de mulher pelo fato de ser mulher, também não ficam atrás. “Também de acordo com o Mapa da Violência contra a Mulher, em 2018, quase 16 mil mulheres foram assassinadas e a maioria esmagadora dos executores são companheiros ou parentes (cerca de 96%). Nas unidades da Federação do Centro Oeste foram registrados quase 3 mil feminicídios”, informou Flávia Morais.

Foram convidados para a audiência:
– a diretora do Departamento de Políticas de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres da Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres, Geraldine Grace da Fonseca da Justa;
– a promotora de Justiça do Ministério Público de Goiás Rúbian Corrêa Coutinho; – a defensora pública Gabriela Marques Rosa Hamdan, representante da Defensoria Pública de Goiás;
– a delegada Paula Meotti, representante da Secretaria de Segurança Pública Goiás;
– o delegado Carlos Augusto do Prado Bock, representante da Secretaria de Segurança Pública de Mato Grosso;
– representante do Núcleo de Estudos sobre a Violência da Universidade Federal de Goiás; e
– representante do Grupo de Trabalho de Prevenção da Violência Contra a Mulher do Ministério da Justiça.

Hora e local
O debate será às 15 horas, no plenário 14.

Fonte: Câmara