Sinde-Beleza capacita estrangeiras

Compartilhe:

O SindeBeleza, sindicato que reúne profissionais de cabeleireiros e salões de beleza pessoais, filiado à Confederação dos Trabalhadores em Turismo e Hotelaria (CONTRATUH), vem promovendo oficinas de capacitação para mulheres migrantes junto ao Centro de Apoio ao Migrante (CAMI) de São Paulo.

Os últimos posicionamentos políticos brasileiros construíram um clima de racismo e xenofobia, com demonstrações de aversão ao estrangeiro, ao carente e as práticas solidárias, que sempre foram uma chancela do SindeBeleza.

“Procuramos o CAMI para oferecer um espaço de formação e reunimos um grupo de mulheres de vários países como Bolívia, Camarões, Nigéria, Senegal e Costa do Marfim”, explicou Maria dos Anjos Hellmeister, “Mariazinha”, presidente do CAMI para La Rel. SindeBeleza.

O curso, que teve início no dia 18 de outubro, é para auxiliar de cabeleireiro e faz parte do projeto de capacitação continuada do sindicato.

Curso

Tem duração de 12 aulas, entre teóricas e práticas, e busca ser uma ferramenta de inserção laboral para esses trabalhadores.

Mariazinha informou que estão negociando com o Sindicato Patronal um espaço de inserção para as alunas que, de acordo com seu interesse e desempenho, estejam aptas a ocupar cargo em cabeleireiros ou salões de beleza.

“São mulheres, algumas com formação profissional em outras áreas no país de origem, que buscam uma nova oportunidade no Brasil”, disse.

“Há um grande interesse por parte dos inscritos e para nós é muito gratificante especificar o trabalho social que temos em nosso sindicato, pois entendemos que é uma parte fundamental que todas as organizações de trabalhadores devem considerar”.

O SindeBeleza ambiciona concluir este ciclo formativo antes do final do ano e já organizou novos cursos com várias vagas para o próximo ano.